GESTAÇÃO

Havia chegado a hora de provar que minha teoria sobre Coaching, PNL e outras técnicas envolvendo reprogramação pessoal estavam corretas. A Crise chegara impactando diretamente meus projetos. E eu havia pedido exoneração do serviço público em abril daquele ano. Um calafrio tomou conta de meu estômago naquela manhã de terça-feira.

Eu vinha numa rotina de realizar meus exercícios de reprogramação neural todas as manhãs, antes de qualquer outra atividade diária. Mas naquele dia resolvi olhar os WhatsApp antes de tudo, e lá estava o resumo das ações do governo para contingenciar a crise. Entre muitas outras aterrorizantes, estava a dos cortes nos investimentos de concursos públicos e congelamento de salário dos servidores. Exatamente para essas áreas caminhavam meus projetos de advocacia e de Coach.

Não sei se errei em ter lido aquilo – ainda em “jejum espiritual” (risos) – mas o fato é que senti medo. Tive vontade de praguejar contra mim mesmo. Lembrei-me do pedido de demissão de meu pai, que trabalhava numa grande empresa e resolvera ser autônomo. Essa palavra assustou-me durante muito tempo (e, escrevendo-a naquele momento, parecia que ainda assustava). Ela simbolizava o fracasso!

Mas algo havia mudado em mim de uma forma extremamente radical. Eu sentia medo, sim. Porém, não fiquei paralisado, como poderia ter ocorrido em vezes anteriores. Eu estava decidido em transformar aquela experiência ruim em meu “batismo de fogo”. Sim, eu resolvera provar que minhas teorias de autoreprogramação estavam corretas. E eu não podia fracassar.

Lembro-me que – ao invés de iniciar a rotina através dos meus exercícios cotidianos (mantive apenas um, a respiração de alta performance) – corri para o notebook para escrever este texto. Sim: isso foi na manhã de 15/09/2015. E eu me projetei para o dia XX/XX/XXXX (omitida por questões pessoais), a data referencial que estabelecera para alcançar meus objetivos de médio prazo.

Não fui choramingar nas redes sociais (havia feito uma postagem em um grupo de concurseiros e depois vi que alguém não gostara)[1]. Não fui escrever artigos contra a merda do Governo. Agarrei-me na minha Fé. Acreditava (e acredito) na Força Infinita e sabia que estava sintonizado com ela, como um João Pedro[2] dentro da barriga do Universo: eu estava protegido e possuía todos os recursos para sobreviver. E para viver bem. E mesmo que me parecesse que eu estava sozinho, meu espírito estava ligado à Prosperidade Infinita.

E eu me lembro que sorri, olhando para o futuro, no qual eu já me encontrava. Como a semente que se via na árvore. Como o embrião que se via saindo do abrigo calmo e seguro, mas conduzido por outrem, para o imenso mundo da vida autônoma. E eternamente amparado pelos cuidados e carinhos da Mãe Natureza.

Sim. Aqui estou eu. Em XX/XX/XXXX: bem sucedido (= próspero, saudável…). Eu estava (e estou certo).

Assim foi. Assim é. Assim será!

Originalmente escrito no dia 15/09/2015.

Erasmo Adelino

(brincando com Chronos)

[1] Inclusive, avaliei que, fazendo aquilo, cometera um erro, pois havia postado uma mensagem antes, fazendo publicidade do Coaching (sem que ninguém ainda tivesse lido durante dois dias…risos) e acabei atropelando meu próprio anúncio com uma mensagem mais impactante (porquanto política e que teve resposta em menos de 5 minutos), uma mensagem sujeita a reações dos aliados do governo. Normal! Que lição!!

[2] Referência ao filho de uma amiga que acabara de ser “anunciado” (risos).

Anúncios

0 Responses to “GESTAÇÃO”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




Anúncios

%d blogueiros gostam disto: