O Último Dia do Pai

Silêncio. Apenas, silêncio. A lembrança do sorriso recentemente apagado. Reacendo-a, olhando para sua foto.

Tento não deixar que as lágrimas escorram. Mas elas teimam e escorrem…

E eu me silencio no teu eterno silêncio.

Esqueço o que não me disse. Interpreto o que não me ensinou.

Olho para sua foto sobre a estante. Avô feliz com o neto nos braços. Ambos de gravata. Cúmplices. Belos.

Risonhos. Silenciosos.

O mesmo silêncio. O mesmo enigma.

Feliz silêncio, Pai! Onde quer que estejas!

Anúncios

0 Responses to “O Último Dia do Pai”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




Anúncios

%d blogueiros gostam disto: